Home A Blogueira Contatos Sobre o Blog Anuncie Colaboradores

sábado, 18 de junho de 2016

Resenha: Puella Magi Madoka Magica


     Puella Magi Madoka Magica é um anime de 2011, do estúdio Shaft. A história gira em torno de uma menina de 14 anos chamada Madoka Kaname.
     Certo dia, Madoka tem um sonho em que vê uma menina lutando contra uma criatura enorme em uma dimensão estranha, uma espécie de mundo em destruição.
     No dia seguinte, Madoka encontra a garota que estava em seu sonho na escola, seu nome era Homura Akemi. Homura avisa Madoka de que, se ela preza por tudo que tem e por seus amigos e família, ela jamais mudaria sua vida. Á tarde, Madoka vai ao Shopping com suas amigas e, durante o tempo que passava em uma loja de música, Madoka escuta alguém pedindo sua ajuda. Ela corre até um local onde encontra Homura atacando uma pequena criatura chamada Kyubey.
    Enquanto Madoka, sua amiga Sayaka Miki e Kyubey fogem de Homura, algo estranho acontece e eles são envoltos de criaturas estranhas. Os três se encontram em desespero, até que são salvos por uma garota chamada Mami Tomoe. Ao fim de tudo, Kyubey explica para as duas meninas que o que os havia atacado era uma bruxa, uma criatura má responsável por inúmeros acontecimentos horríveis no mundo. Ele também explica que são as Mahou Shoujo(Meninas Magicas) que defendem o mundo dessas bruxas, e que o único motivo por elas terem ouvido a ele, era por que ele queria transforma-las em Mahou Shoujo.
   Kyubey poderia realizar qualquer desejo das meninas, e em troca, elas se tornariam Mahou Shoujo e lutariam contra as bruxas em seu nome. Mas nem tudo é o que parece....
   
   À primeira vista o anime parece muito feliz e muito inocente, mas com o passar dos episódios você percebe que o único inocente é você. Com cenas fortes envolvendo mortes repentinas, pensamentos depressivos e suicídio.
   Não é um anime que se desenvolve apenas por mostrar o poder da amizade, mas também mostra o quanto ter responsabilidades é cruel e que não se pode confiar em todos.
   Um dos pontos positivos é a forma como é mostrado o poder feminino dentro do anime. O que eu mais gostei foi eles terem mostrado que, era o pai que cuidava da casa enquanto a mãe saía para trabalhar. A mãe de Madoka era o exemplo perfeito de uma mulher bem-sucedida na indústria machista.
    O traço do anime é simples, mas é bonito. Sem muitos exageros, faz honra a natureza infantil que a história tenta passar. Além de ser bonito, acho legal ressaltar que as bruxas possuem uma forma diferente de arte que entra em contraste com a animação do anime e passa a sensação de ser algo de outro mundo.
    Eu achei muito bonita a forma como foi retratada a amizade das personagens dentro do anime. A forma como eles mostram que elas são unidas e que fariam de tudo para defender uma a outra.
    Devo dizer que o trabalho envolto dos personagens e de seus dramas pessoais foi muito bem feito. Alguns personagens que morreram ao longo da história tiveram seus dramas tão bem colocados, cenas que te faziam sentir próximo a eles e então, logo em seguida, eles morriam. Fazia com que você sentisse falta daquele personagem e, me arrisco a dizer, que era um pouco chocante em alguns casos.
    O final da história é surpreendente e é cheio de emoção. As decisões que a personagem principal tem que tomar e as consequências que você sabe que ela vai ter que sofrer são intensas, mas no fim de tudo, te faz sentir satisfeito.
    Puella Magi Madoka Magica é um anime sobre o poder de uma menina e de suas amigas, mas não somente sobre isso, também fala sobre: a confiança excessiva em algo que “parece, mas não é” e viajem no tempo.
    De longe esse é um dos animes que eu vi que mais me surpreenderam e que mais me abalaram. Cheio de cenas carregadas em emoção, batalhas intensas e até mesmo, cenas assustadoras. Eu indico esse anime e lhe dou uma nota “9/10”.


sexta-feira, 17 de junho de 2016

Resenha: Invocação do Mal 2


    A continuação do filme “Invocação do Mal”, de 2013, chegou aos cinemas no dia 9 de julho.
O filme “Invocação do Mal 2” se baseia em um caso que ocorreu em Londres, no final dos anos 70.
Ed e Lorraine Warren ainda estão abalados pelo caso Amytiville. Lorraine acaba tendo visões com a morte de Ed e, assustada com o ocorrido, ela lhe propõe que os dois parem de se relacionar diretamente com atividades paranormais e sigam suas vidas com palestras e debates. Entretanto, a igreja contata os Warrens para que investiguem o caso de uma menina de 11 anos e de sua família em Londres. Por insistência de Ed, os dois partem para o Reino Unido. Chegando lá, eles se deparam com eventos extremamente curiosos, mas ainda assim, não há algo que faça com que os dois sintam que não é mais um caso de mentiras.
É curiosa a forma que o filme começa mostrando a família em Londres e os Warrens nos Estados Unidos. O filme segue assim por um bom tempo, até que as duas partes se unem para que siga a história.
O filme é carregado de tensão. Não haviam momentos em que eu me sentia aliviado. Você fica esperando para que alguma coisa aconteça. Haviam cenas que, mesmo sem nenhuma aparição ou vulto, você conseguia sentir medo.
A atriz Madison Wolfe (Janet Hodgson) conseguiu passar a sensação de que realmente havia uma criança possuída ali. Além disso, a jovem conseguiu mostrar em frente às câmeras o sentimento de pavor e cansaço que sua personagem necessitava.
A simples voz do fantasma conseguia assustar todos a minha volta. Além da voz, a “freira” foi um personagem icônico no filme. Sempre com sua caminhada lenta e olhar penetrante, além de seu sorriso macabro, a freira assustou muitos em suas cenas com Lorraine.

As cenas das crianças caminhando pela casa a noite foram as melhores, em minha opinião. A sensação de estar sendo perseguido é uma das piores que se pode sentir, e o filme conseguiu passa-la. Não há alguém que vá se esquecer da barraquinha do pequeno Billy e do “Homem torto”.
Acho importante citar que mesmo sendo um filme intenso e focado no gênero do terror, “Invocação do Mal 2” também possui cenas engraçadas e que te fazem sentir um pouco mais leve em meio a todo o caos causado na casa dos Hodgson’s.
Em minha opinião, “Invocação do Mal 2” foi um ótimo filme que tratou com seriedade e comprometimento o assunto “Sobrenatural”. Eu não sou o tipo de pessoa de assisti filmes de terror com frequência, e quase sempre não assisto até o fim, mas este filme me agradou muito. 
A única coisa que me incomodou um pouco foi eles terem tratado o filme como um caso do Warrens, sendo que na verdade, Ed e Lorraine sequer chegaram a passar 24 horas dentro da casa da família original.
Tirando o fato de que não era um caso dos Warrens, eu daria uma nota “8/10”. Acho que eles poderiam ter focado um pouco mais no que aconteceu antes da chegada dos Warrens a casa, mas tirando este fato, o filme é ótimo e eu os aconselho a assistir.

quinta-feira, 9 de junho de 2016

| Vegetarianos e afins #2: como parar de consumir carne |

  Olá pessoal, tudo bem? Segunda postagem sobre o tema, e com certeza um das fases mais difíceis e importantes das quais iniciei e, não consegui ficar nem 3 dias na onda!


  A pessoa não vai virar vegetariana da noite para o dia, certo? Tudo leva tempos. É uma fase que exige bastante força de vontade, até mesmo porque o nosso organismo sente diferenças.

 Pesquisei bem pois não quero ficar com riscos de adoecer por falta de carne!

• Primeiramente é recomendado que a pessoa largue a carne vermelha (carne de vacas, bois).

• Depois de 3 meses, deixe a carne branca (aves).

• E, por último, depois de 6 meses, deixe de comer frutos do mar.

Tudo por etapas para não correr o risco de ficar doente, fazendo com o que seu corpo se acostume com os seus novos hábitos!!


Fiquem ligados nos próximos posts com o tema que darei várias outras dicas! Um beijo e até a próxima.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

| Vegetarianismo e afins #01 |

– Olá pessoal, tudo bem? Hoje estou aqui com um assunto que está sendo muito de meu interesse ultimamente, o Vegetarianismo e seus “colegas” como o veganismo, e etc. 

Diferenças/Semelhanças:

Vegetariano: exclui de seus pratos qualquer tipo de carne (bovina, ovina, suína, carne branca, etc.), mas ainda sim utiliza os derivados dos animais (leite, queijo, ovos,.).

Vegetariano Estrito (''vegetariano puro''): obviamente não consome carnes, nem os derivados dos animais.

Vegano: rejeita produtos não alimentícios, como por exemplo não utiliza roupas de lã, e também recusa produtos os quais foram testados nos animais.

Ovo-lactovegetariano: é o tipo de pessoa que em suas refeições utilizam ovos e outros derivados e laticínios em suas alimentações.

Lactovegetariano: não utiliza ovos nas refeições, mas utiliza derivados e laticínios.

E existem também outros afins como os Crudivoristas, Frugivorismos, Macrobióticos, Semi-vegetarianos, Onívoros..


Estou interessada no assunto, quero seguir a “vida vegetariana” pois um vídeo em que publicaram no Facebook me comoveu muito. Eu ainda estou “estudando” o assunto, pretendo postar sobre o assunto no mínimo uma vez por semana dando dicas, e o que vocês souberem podem passar para mim. 
 Então que comece o quadro VEGETARIANISMO E AFINS na categoria SAÚDE aqui do blog.


 Não percam o próximo post do Vegetarianismo e Afins no sábado  de manhã que será muito importante para quem quiser tentar entrar para essa vida assim como eu. Irei dar dicas iniciais para quem quer ser Vegetariano. 
 Um beijo e até o próximo post!

quarta-feira, 1 de junho de 2016

| Contra a “Cultura do Estupro” |



  Olá pessoal, como estão? Hoje resolvi trazer ao blog um assunto que gerou e ainda tem gerado a maior repercussão na mídia. Com toda a certeza este é um tema bem delicado, um assunto que eu não queria realmente abordar aqui no blog, não com medo de críticas, ou o que for, mas sim por muitas polêmicas que o assunto teve gerado e por que não devemos nos calar, fechar os olhos e fingir que estes tipos de coisas não acontecem!
  Primeiramente, eu gostaria de deixar claro que eu li textos, até poemas inspirados no ocorrido, li notícias e até mesmo acompanhei a entrevista que Roberto Cabrini fez com “A menina que foi estuprada por 33 homens no Rio de Janeiro” para o Conexão Repórter.   A entrevista foi passada na SBT no domingo (29).



  A jovem tem sofrido bastante preconceito nas redes sociais, como a própria declarou na entrevista.
Vazou prints de publicações as quais ela teria escrito em seu Facebook e fotos adversas.  A jovem de 16 anos foi violentada sexualmente por mais de 30 homens, quando ela estava “dopada” ela contou 33, sendo que a própria diz ter escutado os homens dizendo que 5 já haveriam ido embora; então seriam 38 homens que teriam a coado? 



  NÃO IMPORTA! Não importa a quantidade desses seres, que de homens mal 
devem serem chamados. Não importa o tal jeito da jovem que muitos estão falando, que ela é perversa e o que for. O estupro não deveria ter acontecido, nem com ela nem com ninguém, nenhum ser merece ser estuprado. 

  E o que teria acontecido se o vídeo não tivesse sido publicado por um dos chamados Monstros? Ninguém saberia, iria se repetir como já disseram que havia ocorrido novamente? Será que ela estaria viva? Não só especificamente esta jovem, mas e todas as outras mulheres que já passaram por isso? Por essa dor física, psicológica? 

Nenhuma mulher merece passar por isso, pode ser a pior mulher da face da terra que não vai merecer.



Esses tipos de coisa não tem fundamento, não é amor, e quem o prática é doente, sem o mínimo senso de consideração. Não pensam que poderia ser qualquer pessoa da própria família, uma filha, ou o que for.
Pense no medo das mulheres violentadas de sair na rua, ou até das que não foram com o jeito que o mundo está. 
Se as vezes uma “cantadinha” sem noção na rua, olhares já assustam, imagine a mente das vítimas como não deve ficar?!

Afirmo novamente que, não importa o que a mulher for, ela não merece ser tratada dessa forma, não merece ser tratada como detrito. Ensine aos seus filhos desde cedo como tratar uma Mulher, como tratar um ser humano. Ensine ao seu filho a como ser um homem de verdade!

  Há pessoas que estão criando diversas teorias a respeito do estupro coletivo, há leis surgindo que, se a pessoa for abusada por mais de duas pessoas, aumenta o tempo na prisão.
 A minha opinião é que: – A penalidade deveria ser rígida em todos os casos, não aumentar o tempo de prisão por apenas abuso coletivo. Mesmo sendo apenas um deveria ser mais tempo. E nos casos de que o Ser Bárbaro não é preso? Como deve ficar? Não tenha medo. 


MULHERES, NÃO SINTAM RECEIO ALGUM. DENUNCIE QUALQUER TIPO DE ABUSO. NINGUÉM MERECE ISSO, E ESTAMOS TODAS JUNTAS NESSA!